Junte-se a nós

Venha conviver em "Viver Livremente"

 
Powered by br.groups.yahoo.com


Este grupo se destina ao livre convívio, sem barreiras de qualquer espécie, tendo apenas como base o respeito mutuo.  Aos que aceitarem este "desafio" desejo que se divirtam.

TODOS SÃO BEM-VINDOS

Terça-feira, 28 de Junho de 2005

- Ensinamentos


 





lápis.jpg




Ensinamentos

 


Um companheiro amargurado
por desgostos do cotidiano, certa feita, através de emissora interiorana,
ouviu a voz empolgante de um professor de otimismo que lhe cativou a atenção
e a simpatia.



De três em três dias, ei-lo postado junto ao receptor, a fim de registrar os
concertos do orientador distante.



Tão admirado se viu com as respostas com que o prestimoso amigo reconfortava
e instruía aos ouvintes, que lhe dirigiu a primeira carta, solicitando-lhe
auxílio para sanar as inquietações de que reconhecia ser objeto.



Entusiasmado com os apontamentos que obtinha pelo sem fio, confiou-se à
copiosa correspondência, rogando-lhe as opiniões que chegavam sempre
sinceras e sensatas.



Aquele homem, cujas palavras de paz e compreensão se espalhavam pelo rádio,
devia conhecer as mais intrigadas questões humanas.



Para quaisquer indagações, expedia a resposta exata e tanto adentrou na
faixa dos pensamentos novos que lhe eram endereçados que o amigo, dantes
fatigado e pessimista, observou-se curado da angústia crônica que o possuía.



Renovado e feliz, deliberou exteriorizar a gratidão que lhe vibrava nos
recessos do ser, procurando abraçar o benfeitor pessoalmente.



Combinaram dia e hora para o encontro e o beneficiado despendeu oito horas,
em automóvel, varando estradas difíceis, de modo a reverenciar o professor
que lhe reabilitara as forças para a vida.



Só então, depois de atingir a cidade para a qual se dirigia, entre
consternação e jubilo, conseguiu avistá-lo, verificando, por fim, que o
distinto radialista, que lhe devolvera a alegria de viver e trabalhar, era
paralítico e cego.


Iracema e JP

 

Viver Livremente editou às 20:57
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 18 de Junho de 2005

- Não tem como esconder


Não tem como esconder





Midas, o rei
da Frígia, era aquele sujeito atrapalhado que ousou
afirmar que a flauta tocada pelo sátiro Marsias era muito mais melodiosa que
a harpa tocada por Apolo, o deus da música. Furioso com a afronta, Apolo fez
as orelhas de Midas crescerem, longas e peludas, até se transformarem em
legítimas orelhas de burro; para ocultá-las, o rei enfiou na cabeça um
daqueles barretes vermelhos que os camponeses frígios costumavam usar. Ao
cabo de um ano, contudo, o seu cabelo tinha crescido
tanto
que ele teve, muito a contragosto, de convocar um barbeiro ao palácio.



Com um ar ameaçador, Midas conduziu-o a uma peça sem janelas e aferrolhou a
porta por dentro. Quando removeu o barrete e as longas orelhas ficaram à
mostra, o barbeiro, porém, começou a trabalhar com suas tesouras como se
nada estranhasse. Ao terminar, Midas avisou-o de que aquilo tudo era segredo
de Estado; se contasse a alguém, o carrasco real ia separar sua cabeça do
corpo - ao que o barbeiro, aparentando indiferença, retrucou: "Não sei do
que Vossa Majestade está falando; eu nada vi nesta sala que já não tivesse
visto antes". O rei ficou tão satisfeito com a resposta que pagou-lhe o
corte cem vezes mais do que valia, e o barbeiro saiu do palácio com as
pernas bambas, percebendo que tinha estado muito perto da própria morte.



Pouco a pouco, o segredo tornou-se tão insuportável que ele acabou ficando
ainda mais infeliz do que Midas. Precisava contar a alguém, dividir esse
peso, aliviar sua mente, mas temia ainda mais a espada do carrasco e
continuou a sofrer, até que teve uma súbita inspiração: afastou-se o mais
que pôde da cidade e lá longe, numa curva deserta do rio, cavou um buraco na
margem, ajoelhou-se na areia úmida e sussurrou, três vezes: "Midas tem
orelhas de burro!". Depois, aliviado, repôs a terra cuidadosamente, cobrindo
assim as perigosas palavras que tinha proferido, e afastou-se em silêncio.
Mas bem ali, naquele ponto, nasceu uma touceira de juncos, que, na primavera
seguinte, quando o vento agitava suas hastes flexíveis, repetiam o segredo
que tinha sido confiado à terra: "Midas tem orelhas de burro!" - e o vento
espalhou o segredo pelos campos, e os campos o repetiram para os cascos dos
cavalos que passavam por ali, na direção da cidade, e a cidade o repetiu nas
esquinas, nas feiras e no mercado, até que todos os habitantes do reino se
inteirassem da notícia. Midas foi um grande tolo, como tolo é o governante
que pensa que pode ocultar, com dinheiro e ameaças, as suas orelhas de
burro, pois, bem mais cedo do que ele pensa, o vento trará à cidade os
segredos e as verdades que ele tenta em vão esconder.

 

Viver Livremente editou às 13:24
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 12 de Junho de 2005

- A formiga e a cigarra


Autor desconhecido... Qualquer
semelhança, é intencional!


Versão Clássica





Era uma vez uma formiga que trabalhava duro, de sol a sol, construindo sua
toca e acumulando suprimentos para o longo inverno que se aproximava.

A   cigarra viu aquilo e pensou:

"- Que idiota!"

E passava o tempo todo dando gargalhadas, cantando e dançando. Assim passou
todo verão; ao chegar o inverno, enquanto a formiga estava aquecida e bem
alimentada, a  cigarra não tinha abrigo nem comida; morreu de fome.



MORAL DA ESTÓRIA: _Trabalhe duro! Seja previdente e responsável.




 



* Versão Brasileira *


Era uma vez uma formiga que trabalhava duro no sol escaldante de verão
construindo sua toca e acumulando suprimentos para o longo inverno que se
aproximava. A  cigarra pensou:

"- Que idiota!"

E passou o verão dando gargalhadas, cantando e dançando como nunca.

Ao chegar o inverno, a  cigarra, tremendo de frio, armou uma barraca de
lona na entrada da toca da formiga e convocou toda a imprensa para uma
entrevista e exigiu explicações:

"Por que é permitida à formiga, uma toca aquecida e boa alimentação,
enquanto as  cigarras  estão expostas ao frio e morrendo de fome?"

Todos os órgãos de imprensa compareceram à entrevista (SBT, BAND, ZERO HORA,
JORNAL  DO BRASIL, ESTADÃO. REDE GLOBO, CNM e outros); tiraram muitas fotos
da  cigarra trêmula de frio e com sinais de desnutrição.

As imagens dramáticas na televisão mostraram uma  cigarra em deplorável
condição, sentada num banquinho debaixo de uma barraca plástica preto   e
mais adiante mostraram a formiga em sua toca confortável, com uma mesa farta
e variada.

O programa do Datena apresentou um quadro de 15 minutos, mostrando a  
cigarra cambaleante. O povo brasileiro fica perplexo e chocado com o
contraste. A BBC de Londres manda ao Brasil uma equipe para fazer uma
reportagem especial a ser distribuída em rede para toda a Europa.

A CBS nos EEUU interrompe uma entrevista coletiva sobre a guerra no Iraque,
para mostrar como anda a cidadania das  cigarras brasileiras. A notícia
recebe apoio imediato de José Dirceu, com a ressalva de que os recursos
devem ser dirigidos ao programa Fome Zero do governo Lula, e cogita uma
Emenda Constitucional que aumente os impostos para as formigas e ainda
obriga as comunidades a promover a integração social das  cigarras. A
formiga, multada por supostamente não entregar sua quota de folhas verdes ao
Ministério das Folhas e não tendo como pagar todos os impostos e
contribuições que foram apurados retroativamente, pede falência.

A Câmara Federal instala uma comissão de inquérito para investigar a
falência fraudulenta de inúmeras formigas abastadas. O Ministério das Folhas
nomeia uma comissão de auditores fiscais suspeitando de que as formigas
tenham desviado recursos do FF5 (folhas fresca nº 5 de Banco Central) e
suspeitas de lavar folhas.

A  cigarra decide invadir a toca da formiga e lá acampa. A formiga pede
ajuda da polícia e esta informa que não dispões de efetivo para atender
ocorrências desta natureza e que também por orientação do Secretário de
Segurança que deseja evitar confronto com os SEM TOCAS. A formiga entra na
justiça para obter a reintegração da toca, mas é negado, o juiz invocou um
novo ramo do direito, "O ECONÔMICO" e sentencia que a formiga não provou a
produtividade da Toca.

O Ministério da Reforma Agrária desapropria a Toca da Formiga, por não
cumprir sua função social e a entrega  á  friorenta e desnutrida 
cigarra.

O Ministério da Justiça examinando folhas  do Jornal Última Hora, descobriu
que a  cigarra foi presa no passado, por promover algumas greves,
assaltos e seqüestros (crimes políticos), e conseguiu sua inclusão no grupo
dos perseguidos políticos com direito à indenização federal e pensão
vitalícia.



Agora começa novamente o verão, as formigas trabalham e as  cigarras
cantam... e dançam...


* MORAL DA ESTÓRIA: NÃO HÁ MORAL NESTE PAÍS... *


:::::: NÃO PENSEM QUE EM PORTUGAL É DIFERENTE ::::::


(Autor  Desconhecido)

 

Viver Livremente editou às 20:51
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 6 de Junho de 2005

- Causa Nacional




VAMOS UNIR-NOS POR
UMA CAUSA NACIONAL




Como é sabido de todos, foi necessário um político pedir aos
portugueses

para se unirem durante o EURO 2004 e pôr uma bandeira de Portugal na janela

O povo uniu-se por uma causa e dignificar o país.



Agora é tempo de nova união.

Guardemos as bandeiras, e vamos todos pôr uma bandeira negra, luto em forma

de protesto, em nome do momento negro que atravessamos e do que ainda virá,

fruto de uma má gestão por parte dos sucessivos governos, que continuam a

gastar o que não têm, em prole das mordomias sem as quais não conseguem
viver.



Dia 10 de Junho, façamos luto por Portugal, bandeira negra na janela por
todo o país.



Passe esta mensagem a todos os seus conhecidos, pois Portugal é dos
Portugueses.



Não deixemos que meia dúzia de políticos gozem com 800 anos de história
.


 

Viver Livremente editou às 17:55
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 3 de Junho de 2005

- o anel











</div>


O ANEL






Um aluno chegou a seu professor com
um problema:

Venho aqui, professor, porque me sinto tão pouca coisa, que não tenho
forças para fazer nada.
Dizem que não sirvo para nada, que não faço nada bem, que sou lerdo e
muito idiota.



Como posso melhorar?
O que posso fazer para que me valorizem mais?



O professor sem olhá-lo, disse:

Sinto muito meu jovem, mas agora não posso ajudá-lo, devo primeiro
resolver meu próprio problema.
Talvez depois. E fazendo uma pausa falou:



Se você me ajudar, eu posso resolver meu problema com mais rapidez e
depois talvez possa ajudar você a resolver o seu.

C...Claro, professor, gaguejou o jovem, mas se sentiu outra vez
desvalorizado.



O professor tirou um anel que usava no dedo pequeno, deu ao garoto e
disse:

Monte no cavalo e vá até o mercado.

Deve vender esse anel porque tenho que pagar uma divida. É preciso que
obtenha pelo anel o máximo possível, mas não aceite menos que uma
moeda de ouro.

Vá e volte com a moeda o mais rápido possível.



O jovem pegou o anel e partiu.

Mal chegou ao mercado começou a oferecer o anel aos mercadores.

Eles olhavam com algum interesse, até quando o jovem dizia o quanto
pretendia pelo anel.

Quando o jovem mencionava uma moeda de ouro, alguns riam, outros saíam
sem ao menos olhar para ele, mas só um velhinho foi amável a ponto de
explicar que uma moeda de ouro era muito valiosa para comprar um anel.



Tentando ajudar o jovem, chegaram a oferecer uma moeda de prata e mais
uma de cobre, mas o jovem seguia as instruções de não aceitar menos
que uma moeda de ouro e recusava as ofertas.

Depois de oferecer a jóia a todos que passavam pelo mercado e abatido
pelo fracasso, montou no cavalo e voltou.



O jovem desejou ter uma moeda de ouro para que ele mesmo pudesse
comprar o anel,
assim livrando a preocupação de seu professor e assim podendo receber
sua ajuda e conselhos.



Entrou na casa e disse:

Professor, sinto muito, mas é impossível de conseguir o que me pediu.
Talvez pudesse conseguir 2 ou 3 moedas de prata, mas não acho que se
possa enganar ninguém sobre o valor do anel.

Importante o que me disse meu jovem, contestou sorridente.

Devemos saber primeiro o valor do anel.

Volte a montar no cavalo e vá até o joalheiro.

Quem melhor para saber o valor exato do anel?

Diga que quer vender o anel e pergunte quanto ele te dá por ele.

Mas não importa o quanto ele te ofereça, não o venda.

Volte aqui com meu anel.

O jovem foi até o joalheiro e lhe deu o anel para examinar. O
joalheiro examinou o anel
com uma lupa, pesou o anel e disse:



Diga ao seu professor que, se ele quer vender agora, não posso dar
mais que 58 moedas de ouro pelo anel.

58 MOEDAS DE OURO! Exclamou o jovem.

Sim, replicou o joalheiro, eu sei que com tempo eu poderia oferecer
cerca de 70 moedas,
mas se a venda é urgente...

O jovem correu emocionado a casa do professor para contar o que
correu.

Senta, disse o professor e depois de ouvir tudo que o jovem lhe
contou, disse:



Você é como esse anel, uma jóia valiosa e única.

Só pode ser avaliada por um especialista.

Pensava que qualquer um podia descobrir o seu verdadeiro valor?

E dizendo isso voltou a colocar o anel no dedo.

Todos somos como esta jóia.
Valiosos e únicos e andamos por todos os mercados da vida pretendendo
que pessoas
inexperientes nos valorizem.

 

Repense o seu valor!

 




 

Viver Livremente editou às 15:11
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30
31


Pesquisar no blog

 

Nossos Grupos


Grupo Liberdade Cristã


Grupo Viver Livremente


Olivença é Portuguesa (MSN)

Nossos Sites


Miguel & Sylvia


Homepage de Miguel Roque


Alentejano de alma e coração


Liberdade Cristã

Nossos Blogues


Filhos & Netos


Sylvinha em Portugal


Sub-Blog do tapete


Sonho Alentejano


Viver Livremente


EU acredito em Portugal


Independência em perigo


Portugal Ressuscitado


Jornal de Olivença


Olivença é Portuguesa


A Bandeira Vermelha


Bandiera Rossa


Leitura semanal-Liberdade Cristã

Arquivos

Maio 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Janeiro 2007

Setembro 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Arquivos Recentes

Tempos modernos...

Os incorrigiveis...

Natal com humor

Coisas do século XXI

no alentejo...

Tentar surpreender é sair...

Surpresa (será?)

Novos tempos...

Cuidado com o que lê...

A melhor recompensa

Arquivos

Maio 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Janeiro 2007

Setembro 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

a carregar

Estou no...






Estou no Blog.com.pt

E você, blogaqui?
blogs SAPO

subscrever feeds

tags

todas as tags